Comece aqui

Mesmo não sendo uma escritora profissional, foi a escrita como arte que me ajudou a expurgar muitos momentos difíceis e em outros a me conhecer melhor. Diante disso convido a todos que passam por situações semelhantes a tentarem externar suas dores, alegrias, dúvidas ou ilusões, compartilhando aqui conosco e se sentindo em casa em nosso blog.

Exponho no blog algumas reflexões que servem de ensaio para o livro Minhas Asas entre Letras ao mesmo tempo em que ofereço oportunidade a quem quiser tentar esse exercício de liberdade através das letras, de compartilhar, neste espaço, suas construções. Já no livro apresentarei textos escritos desde os meus nove anos. Porém, em ambos, a maioria dos textos, escritos já na fase adulta, retratam as dificuldades de se lidar com a depressão e conviver com um distúrbio mental – no meu caso o transtorno bipolar do humor – numa sociedade onde ainda imperam a falta de informação e um enorme preconceito.

Eu com Pedro (14 anos), Clara (10) e Davi (um aninho). Ninho completo.

Eu com Pedro (14 anos), Clara (10) e Davi (um aninho). Ninho completo.

Há momentos bons. Foto de Rizemberg Felipe. Hoje aos 41, já tenho saudade dos meus 38.

Há momentos bons. Foto de Rizemberg Felipe. Hoje aos 41, já tenho saudade dos meus 38.

Para nos manter saudáveis, além de medicamentos e terapia, imprescindíveis são compreensão, amor e acolhimento.

 

OBS.: Para quem quer conhecer mais sobre o Transtorno Bipolar recomendo o site do Dr. Drauzio Varella (ver abaixo)  http://drauziovarella.com.br/letras/t/transtorno-bipolar/

http://drauziovarella.com.br/noticias/transtorno-bipolar-e-a-doenca-que-mais-causa-suicidios/

9 Comments

  1. Luciano de Araújo Silva

    Adorei sua coragem e como é bom ler um texto sobre um assunto tão importante e sem erros de linguagem.
    Deus te abençoe… Não se esqueça …você é linda…por dentro e externamente.

    • Obrigada, Luciano! A intenção é mesmo me expor para tentar desconstruir mitos e preconceitos, e assim ajudar outras pessoas. Caso encontre em algum texto qualquer erro, por favor, é só me avisar. Sabe que aqui tem textos que escrevi aos nove, 11, 16 anos? rsrs Agradeço sua visita! Beijo!

  2. nao pare!!! ta otimo!!! mostre a todos como superar! porque vc é meu grande exemplo de superação!

  3. olá, renata! a gente se conhece, mas acredito que pelo nome vc não se lembre de mim. também sou jornalista e admiro demais sua coragem em admitir o transtorno bipolar, diante de uma sociedadetão preconceituosa como a nossa. parabéns! serei leitora de seu blog a partir de agora! forte abraço

  4. Que bom, Mabel! Sua presença aqui é um prazer. Lembro sim de você, porque seu nome é incomum. Deixe ver… é mais baixa do que eu e tinha cabelos cacheados. rsrsrs
    Muito obrigada, viu? Divulgar, compartilhar o link, vai fazer toda a diferença!
    Beijo no seu coração.

  5. E pensar que tudo isso é apenas um aperitivo para um livro que reúne, acredito eu, mais de oitenta textos. Vamos aguardar o lançamento. Tá ficando muito massa!!!

    • É verdade, o livro virá depois do blog. Estou aqui vendo se as pessoas gostam da ideia, dos textos… Não é? rsrsrs
      Agradeço demais sua ajuda!!! Comentar, divulgar, compartilhar, é assim que vamos ajudar pessoas que também são bipolares ou lidam com a depressão, às vezes sem ter com quem se identificar e sentir que não está sozinha nessa luta diária!
      Beijo enorme!

  6. Lila Maria saldanha Milano

    Eu tenho um filho com 25 anos,que não aceita tratamento,é muito dificil,pois tenho problea de saude e ele é muito autoritario.Agora estou melho pois eu procurei ajud para entender melhor a situação.Quero ajuda-lo,pois amo de todo coração.um abraço.

    • Lila Maria, sei o que está passando, meu filho mais velho também já não aceita muitas orientações minhas. Mas persevere, com amor e compreensão você consegue. Ele aceita pelo menos a terapia? No começo é difícil a gente aceitar que estamos doentes, que o cérebro também adoece como qualquer outro órgão, temos medo do desconhecido e medo do preconceito das pessoas. Imagino sua dificuldade, sei que é difícil para ele também, então tente se manter informada sobre como lidar com isso, você mesma pode começar uma terapia, e ele é jovem, pode ser que com a maturidade aceite melhor.
      desejo a você sucesso nessa luta. Quando quiser desabafar pode contar comigo. Beijo no seu coração, de mãe para mãe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Arquivos