Voraz

mãos sexo

Uma imensidão

Quase sem fim

Dentro de mim.

Seu corpo se expande

Alastra-se

Quando invade o meu.

Como pode um olhar tão sereno

Esconder tanta força?

Como pode um homem

Ir tão longe

Por dentro de mim?

Toma meus espaços

Escorrega

Preenche entranhas

Passeia por minhas nuances

Aninhando-se

E se apodera

Do corpo que não quer mais estar vazio

Já acostumado com o seu,

Moldado ao seu corpo,

Ao qual agora o meu pertence.

2 Comments

  1. Everything is very open with a precise description of the challenges. It was really informative. Your site is very helpful.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Arquivos