Rei, não deteste, ame (Escrito aos 13 anos)

Rei, não deteste teu povo, não o julgues burro. Ame-o, pois sem ele tu não serias rei, poderoso e gordo, serias rei somente na tua fantasia. Talvez lá pudesses mandar e destruir, pois no fim, lá o povo és tu mesmo.

Depois que rei sai da fantasia há um grande enterro real.

Rei, não critiques o trabalho do outro, mostre o quanto vale o teu.

Rei, olhes para ti. Vês a barriga? Só não está maior porque tu não queres.

Rei, olhes para o povo. Vês a barriga? Só não está menor porque teu lixo é farto.

Rei, ame teu povo, se não logo haverá um grande enterro real.

 

S.P. 27/12/1987  , mas atual!

 

 

2 Comments

  1. Ora sou rei
    Ora sou povo
    Rei e seu povo
    Por eles, continuo vivo!

    • Ahhhh responder a um poeta é uma missão quase impossível! Obrigada pela visita e divulgação!
      Por todos os nossos eus continuamos vivos, nossos monstros e nossas fadas…
      Beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Arquivos